Telefone MapaComo Chegar Menu

contato@madeiramahogany.com.br

Madeira Mahogany

Aprenda como melhorar a decoração com objetos simples


Pendurados na parede, apoiados em uma estante, em um móvel ou em uma prateleira, quadros, pinturas, telas e fotografias podem até ser os últimos itens a serem pensados na hora de decorar um ambiente, mas, em muitos casos, são os primeiros a serem notados. Por isso é importante fazer uma composição que dialogue com a decoração e traga harmonia ao local. Entre as principais dúvidas de quem quer dar uma melhorada no visual do lar é sobre onde colocar os quadros. No entanto, qualquer lugar pode servir para o item, segundo a engenheira civil e designer de interiores Maria Júlia Sperandio Faria.“Às vezes, pensamos em tudo e a parede fica ‘pelada’, sem nada. Aí é um bom lugar para pendurar algo ou até mesmo colocar uma escultura. Toda vez que você olhar para um ambiente e ver que ele está sem graça, perceberá que precisa de um quadro”, assegura a especialista. De acordo com ela, que também é professora do curso de Design de Interiores da Universidade Salvador (Unifacs), uma parede divertida e descontraída tem a ver não apenas com a combinação com o teto e piso, mas também com os diversos elementos visuais que podem ser combinados no ambiente. “Não necessariamente o que está no quadro precisa combinar com a parede.Quadros têm vida própria, são elementos de alegria, que trazem o dinamismo”, afirma. Segundo ela, entre as tendências atuais da decoração está deixar os quadros encostados na parede, apoiados sobre um móvel ou até mesmo no chão. “As molduras coloridas também estão em alta. Dá para misturar espelhos, além de outras referências”, acrescenta. Harmonia A designer lembra, ainda, que é preciso levar em consideração se a parede já tem elementos, pois esses precisam conversar entre si. “Normalmente, a combinação está tranquila quando você olha e tem uma sensação boa. Só acho que não fica legal quando a pessoa faz tudo muito igualzinho. Cansa, traz monotonia, o que não é interessante”, complementa.Segundo o arquiteto Roberto Leal Neto, mais do que elementos em evidência, quadros e objetos de decoração representam relações afetivas, o que pode dar um toque de maior pessoalidade ao ambiente que os quadros serão colocados. “Os quadros passam muito sentimento, paixão pela arte. Obras de arte, em geral, não precisam combinar com nada. Em alguns casos, inclusive, quanto menos combinado, mais destaque à obra. “Recomendo que as pessoas olhem o que elas têm em casa. Muita gente tem objetos de herança ou que compraram em viagens e que podem transformar em arte”, acrescenta. Para ele, na hora de pensar em quadros ou objetos na parede, não existe uma regra específica, o bom senso fala mais alto.“É sempre bom atentar-se a margem de ‘respiro’ da parede, ver o que sobra, o espaçamento, no caso de combinações, para ficar harmonioso”, acrescenta. No caso de obras de arte com valor monetário, ele recomenda o uso de um ambiente minimalista. Em outros casos, basta pensar na harmonia do ambiente. “Se o quadro tem muita informação, a ideia é pegar molduras mais neutras, pretas, brancas ou mais retas. Já se o quadro é mais neutro, é possível usar e abusar das molduras”, afirma. Limites Apesar disso, ele considera que fotografias posadas não são a melhor forma de decorar o ambiente de uma forma despojada e moderna. “Tome cuidado para o ambiente não ficar muito egocêntrico. Fotos de ensaios, como de casamento e de gestante geralmente causam essas sensações. Um ensaio posado é algo óbvio, que não tem valor de obra de arte. Não fica condizente com uma decoração."Acho desnecessário”, opina. Para quem não quer abrir mão das fotografias na parede de casa, no entanto, ele recomenda que sejam utilizadas de forma diferente. “Não use fotos posadas. Se você fez uma viagem para Nova York ou Buenos Aires e tirou uma foto artística, diferente, pode usar. Se você comprou um pôster, um postal, também dá para emoldurar e fazer uma combinação legal. A dica é trabalhar essas imagens de uma forma mais artística, menos óbvia”, comenta. De acordo com o arquiteto, uma boa opção na hora de combinar as obras é utilizar papel cortado como ‘réplicas’ em tamanho real, que podem ser posicionadas na parede e simulam as composições. “Normalmente compramos papel metro, cortamos do tamanho dos quadros e colamos na parede, para poder visualizar como vai ficar. Tem muito a ver com testar e com ‘feeling’”, explica. Molduras Se para Neto as fotografias posadas podem estragar qualquer decoração, segundo o arquiteto Marlon Gama outro elemento que precisa de um cuidado especial é a moldura. “As molduras hoje em dia são muito importantes na concepção dos quadros. As feitas de bambuzinho ficam perfeitas para temas florais e de pássaros. O modelo baguete, tipo de moldura bem retinha, que só dá acabamento na lateral da tela, é a mais usada para arte moderna”, explica. Quem não tem disponibilidade financeira para dar uma repaginada na decoração ou comprar quadros e obras de arte, ele recomenda o uso da imaginação e da criatividade. “Uma boa opção é emoldurar coisas que goste como gravuras, páginas de livros e catálogos”, recomenda. Segundo a designer Maria Júlia, molduras diferentes, feitas com espelhos e caixas, por exemplo, também ajudam a baratear o uso de quadros na decoração. “Já vi gente pegar uma tábua e cortar, dando uma pintura diferente. As pessoas têm que reutilizar o que têm em casa. Com bom senso e criatividade dá para fazer algo moderno e com um toque pessoal”, assegura a especialista, indicando que para que os quadros ganhem destaque no espaço o melhor é que eles sejam criativos.

Data: 16/03/2015