Telefone MapaComo Chegar Menu

contato@madeiramahogany.com.br

Madeira Mahogany

Confira dicas de como renovar a decoração do quarto usando fotos


Um arranha céus de madeira será construído em Viena. Segundo os arquitetos austríacos, o edifício, que será o mais alto do mundo no género, terá as suas obras iniciadas em Viena, já no próximo ano.

Contará com 84 metros de altura e nele vão estar incluídos um hotel, apartamentos, restaurante, SPA e escritórios. Vai ser construído na zona de Seestadt Aspern, um dos locais de maior desenvolvimento urbano da Europa, com um custo estimado em 60 milhões de euros.

Caroline Palfy, pertencente à Kerbler, entidade responsável pelo projeto, explica que a firma escolheu a madeira devido aos seus benefícios ambientais. "A madeira é um material de construção perfeito," diz ela. "Era usada há 200 anos, era perfeita na altura e é perfeita agora."

Com 76% de madeira na sua composição, este edifício vai evitar a emissão de 2,800 toneladas de emissões de CO2, em comparação com uma estrutura similar mas feita de betão. Em comparação com a madeira, que absorve o CO2 do ar durante o crescimento de uma árvore, a produção de betão provoca altos níveis de emissões de carbono.

Os bombeiros de Viena tem algumas reservas quanto à estrutura de madeira, e estão a colaborar com os arquitetos para testar os seus planos.

"O factor principal é que se querem construir edifícios cada vez mais altos. Um edifício de 84 metros na Europa não é comum e há um grande número de necessidades que devem ser tidas em conta," disse o porta voz dos bombeiros Christian Wegner. "Vão ter de ser realizados testes relativos à correta combinação entre o betão e a madeira. Também queremos desenvolver um melhor sistema de extintores, à prova de falhas. Espero que os testes sejam aprovados e se o edifício for desenvolvido da maneira que dizem, vai ser um projeto sério."

Outros edifícios de grande envergadura em Viena já atraíram preocupações por parte de alguns políticos, que descrevem como "exorbitante" a altura destas estruturas e reclamaram que muitas não estavam a ser ocupadas. Mas Katrina Riedl, do Partido Popular Austríaco, defendeu este mais recente projeto. "Viena não é uma cidade de arranha céus mas a inovação faz parte da nossa cidade, porque não experimentar novas coisas?"

Data: 22/04/2015